LIGHTING HIGH DEFINITION
 
NOTÍCIAS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

09.04.15 Pax Panel Kit pertence à nova geração de painéis de leds da Arri. Disponível em duas configurações com um e dois projectores numa pequena mala é o ideal para soluções de luz versátil. Ideais para reportagem, montados na câmara ou para entrevistas e pequenas produções.8 Leo módulos é um pequeno projector que permite a troca de lentes de spot e soft, controlo por DMX e por via wireless e um conjunto de acessórios. Utilizam tecnologia Arri True Match Led com características de luz natural, uma única sombra, uma saída de luz consistente e absolutamente estável em cor. Disponível no mercado a partir de Junho de 2009.

09.03.30 Reporter 8Led é a última inovação tecnológica da Sachtler, é um pequeno projector robusto, versátil e inovativo. A vantagem da nova qualidade de leds da Sachtler permite ajustar rapidamente as condições de luz em situações de reportagem. Este pequeno projector de 8W para câmaras de reportagem é bastante eficiente. Os leds têm um tempo de vida útil muito superior às lâmpadas de halogéneo. Disponível em versão com dimmer que o torna ainda mais versátil mesmo para pequenos apontamentos de luz em produção. A saída de luz de 250lm é outra das características que se destacam.

08.12.19 Na cerimónioa de abertura dos Jogos Olimpicos no estádio Nacional de Beijing foram usados mais de 2300 moving lights controlados por mais de 45.000 canais de DMX que transformaram o estádio num mar de luz. Foi o maior número de ML num único evento em toda a história, 980 Mac 2000 wash, 162 Mac 2000washXB, 112 Clay Paky Alpha Wash, 308 Vari*Lite 3500 spot, 316 Vari*Lite 3000 spot, 180 Vari*Lite 3500 wash, 12 High End ShowGun, mais followspots e Leds. Para controlar todo este equipamento foram usadas 3 consolas grand MA full-size plus e outras 3 para backup, a juntar a 2 grand MA light e 46 MA NSPs para controlar a altamente sofisticada rede de controlo de iluminação. A instalação inicial da iluminação começou em Março, sob a direcção do Lighting Designer Sha Xiao Lan, que refere que o espectáculo tinha de satisfazer toda a gente em todo o mundo com diferentes gostos. A iluminação contemplando a transmissão televisiva foi um desafio acrescido na medida em que com o publico incluído temos quase 1 kilometro quadrado de área de show.

08.11.20 MAC III Profile é a 3ª geração dos famosos projectores da Martin, Mac500, Mac600 e série Mac2000. Estes novos projectores de 1500W, oferecem um conjunto de funções inovadoras e melhor performance que o seu antecessor Mac2000 Wash XB. Melhorias ao nível do sistema de cores, gobos e efeitos animados excepcionais, zoom grande angular e baixo ruído dos mecanismos de arrefecimento, tal como vantagens no controlo, facilidade de suspensão, serviço de manutenção, etc. Esta máquina usa uma lâmpada de arranque rápido de 1500W em conjunto com um sistema óptico eficiente que proporciona uma imagem mais contrastada e uma maior profundidade de campo, especialmente em ângulos mais abertos, para projectar imagens mais contrastadas em vários ângulos. Extremamente brilhante, com sistema óptico mais eficiente, emite um feixe de mais de 33.000 lumens de potência que é 75% mais brilhante que os anteriores modelos de 1200W. A excepcional saída de luz mantém-se mesmo quando os elementos ópticos estão a fazer efeitos diferentes simultaneamente. Quando a saída extra de luz não é necessária, um sistema reduz essa saída para o modo 1200W que permite ao utilizador reduzir o consumo electrico e/ou balancear melhor a saída juntamente com outras máquinas anteriores de 1200W.

08.09.15 O projector 200Led concebido para exterior, programável, com sistema de mistura de cor completa RGB + Amber e mistura de cor branca. Com um desenho bonito, à prova de água, é ideal para iluminação de fachadas, estruturas e monumentos. Com 44 potentes leds e escolha de ângulos de dispersão da luz para aplicações onde a distância de projecção é limitada o seu feixe curto complementa as outras unidades da marca. Tem 5 diodos de cor (vermelho, verde, azul, amber e branco) em vez dos tradicionais 3, é capaz de oferecer uma gama de cores mais precisa e uma grande variação dos contrastes de cor assim como cores mais saturadas quando comparadas com o sistema CMY. O led branco e amber proporcionam uma gama de cores mais efectiva no controlo da temperatura de cor, o diodo branco origina uma luz branca com melhor capacidade de criar suaves tons pastel.

08.09.02 O SmartMAC é um projector extremamente brilhante de 150W oferecendo características únicas e benefícios económicos. Especialmente lançado para recepções, bares e restaurantes, silencioso e de manutenção simplificada. A lâmpada é optimizada para durar 9000 horas em funcionamento com um custo de manutenção reduzido. Um sistema altamente eficiente de arrefecimento usa o alumínio e um sistema especialmente desenhado para afastar o calor da cabeça do projector. Menos partes móveis proporcionam uma grande saída de luz, reduzindo o calor, não há necessidade de limpar o interior do projector nem as lentes. A manutenção da cabeça sem ventoinhas de arrefecimento torna o SmartMAC perfeito para salas de conferência, lojas, restaurantes, teatros e estúdios de televisão.

08.02.22 Os painéis compactos Mini Litepanels são facilmente acopláveis à câmara de vídeo, a um tripé, ou outro acessório ou suporte. Sem Flicker, estes painéis oferecem uma saída com 3 vezes mais eficiência luminosa que os projectores convencionais de tungsténio das câmaras. Sem produção de calor, reguláveis de 0 a 100% e sem variação na cor. São comercializados em unidades simples ou duplas, com todos os acessórios necessários. Existem em na versão 3200K Flood, 5600K Flood ou Spot. Estes projectores proporcionam um ângulo de abertura até 50 graus de luz suave e brilhante. Consumindo 7 Watts podem ser ligados à bateria da câmara ou à corrente através dum adaptador.

08.02.05 A indústria profissional da luz oferece novos projectores de leds que mantêm o CRI a 95 para temperaturas de cor de 3200K e 6500K. A diferença essencial em relação a outras fontes de luz é a temperatura de cor não se alterar mesmo variando a intensidade de corrente no projector. Oferecem várias possibilidades: Kelvin Paintbox é um acessório de controlo remoto que permite o acesso a uma gama variada de possibilidades do sistema funcionar com um dimmer de controlo por DMX. Kelvin Tile é uma unidade de luz de 30 cm de largura especialmente concebida para compensar a falta de perspectiva em cinema e vídeo. È possível juntar mais de uma unidade para criar uma fonte de luz difusa de grande dimensão. É económica e não aquece quase nada. Kelvin Brick é um bloco compacto que pesa aproximadamente 1,5Kg e produz À volta de 155 Lux a 1 metro.

08.01.15 A câmara Red apresentada na NAB em Las Vegas foi desenhada especialmente em função da flexibilidade e funcionalidade, para maximizar as opções de captação. Com lentes Pl de 35mm e módulos com possibilidade de upgrade ao nível das funções, acessórios e sistemas específicos de melhoria na captação e operação. As câmaras convencionais têm sensores de 2,1 Mpixeis e gravam com amostragem de cor a 3:1:1 a 30 fps. A câmara Red possibilita 12 Mpixeis até 60 fps e grava num largo espaço de cor de qualidade nativa a 12 bits. Com sensor Mysterium permite 24,4 x 13,7 mm tamanho cinema super 35 mm. O preço base de 17500 dólares (só o corpo da câmara) torna-a uma câmara sem concorrência no mercado. O sensor Mysterium com resolução de 4520 x 2540 (acima da especificação do 4K) com 12.065.000 pixeis de resolução de saída e uma gama dinâmica superior a 66 dB e profundidade de campo equivalente a lentes PL só pode ser apelidada de Ultra High Definition.

07.11.08 Twenty Clamp foi a última novidade apresentada pela Doughty e já recebeu a aprovação dos distribuidores e utilizadores. Fabricado em alumínio foi desenhado para eliminar os frequentes danos nos trusses provocados pelos grampos convencionais de aço. Este pequeno e compacto grampo suporta até 20Kg e pode ser aplicado a tubos de 48 a 51 milímetros de diâmetro com apenas duas voltas do parafuso de aperto. Os projectores podem ser suspensos por espigões M10 ou M12 presos na base do grampo.

07.10.29 Foi apresentado na Plasa o primeiro projector de leds capaz de competir com um washlight de 575W convencional. Esta unidade usa 90 leds Luxeon K2, 30 de cada cor RGB capazes de criar o espectro completo. Também existe uma unidade na versão de luz branca com 60 leds brancos frios e 30 leds âmbar, ambas capazes de fazer movimentos de 660º de pan e 300º de tilt. Estas características a juntar aos seus 7,5Kg tornam esta unidade perfeita para concertos, palcos, televisão assim como para bares e discotecas. A arquitectura também vai usar estas pequenas maravilhas sem duvida nenhuma. É espantoso como as unidades de leds têm vindo a evoluir e nada me surpreenderia se no próximo ano surgissem produtos no mercado capazes de emitir 200 lumens por Watt.

07.10.03 LED Neon Flex. O efeito de neon pode agora ser substituído por leds, evitando partir-se os tubos e todos os problemas que provinham do uso do gás. Não só para aplicações convencionais mas para tudo o que se possa imaginar pois para além de poder controlar a intensidade também é possível alterar as cores pelo método RGB. O Neon Flex é construído em PVC de longa duração, leve  e flexível. Os leds estão envolvidos numa manga oval que difunde a luz uniformemente. Podem ser cortados por qualquer um sem conhecimentos específicos, ferramenta ou treino em intervalos regulares. Pode-se fazer todo o tipo de efeitos dado o raio de curva poder ir até 4cm.

07.09.26 Os LitePads da Rosco surpreenderam a indústria do cinema oferecendo uma solução versátil, um painel luminoso para iluminar espaços pequenos ao mesmo tempo que poupa energia. Concebido para uso habitual em produções cinematográficas e televisivas.são fornecidos isoladamente ou em Kit a um preço muito económico de 2.595 €.O kit, fornecido numa malinha de transporte, contém duas unidades de cada tamanho de LitePad juntamente com vários suportes, cinco transformadores, seis splitters, seis extensões de cabo de três metros e um adaptador para o isqueiro do carro.

06.03.10 Actualmente o vídeo tem opções semelhantes ao filme, mas baseadas em electrónica. Um Director de Fotografia que saiba usar correctamente todos os parâmetros electrónicos das novas câmaras HD, consegue resultados equivalentes aos resultados do processamento de película. Com uma vantagem, pode ver instantaneamente os resultados e fazer ajustes na iluminação, caracterização, ou outros, sem ter que esperar horas ou dias pelos resultados da revelação da película. A maioria das câmaras digitais tem vários setings na zona dos tons de pele. Algumas tem a capacidade de seleccionar as zonas de tons de pele e suavizar a imagem ao ponto de atenuar algumas imperfeições. Para situações críticas um monitor bem alinhado deve ser usado em conjunto com o osciloscópio para garantir os resultados que pretendemos. Uma vez familiarizado com as técnicas de película torna-se mais fácil entender os procedimentos do vídeo, devemos ter o mesmo controlo que se tem no filme. De facto as novas gerações de câmaras de vídeo podem trabalhar não só as zonas do tom de pele mas também curvas de gamma especificas como as diferentes películas.

06.03.10 Mesmo o puro branco e o puro negro fazem parte da imagem, estamos interessados em preservar os detalhes nas zonas II a VII. Se subexposermos, este detalhe perder-se-á e a imagem começará a ter grandes áreas negras. Se formos para o outro estremo, e sobreexposermos a imagem, o valor do sinal no osciloscópio excederá os 100% e perdemos detalhe nas zonas mais claras, saturação da imagem. Sempre que estes valores se comportarem de forma diferente temos que ver, os tons de pele europeus médios, estes devem cair na zona VI, mas depende muito do tem de pele da própria pessoa, da localização do sol, da hora, etc. As senhoras normalmente tem um tom de pele mais claro que os homens. Esta diferença é significativa visto que se estiverem um ao lado do outro, podemos ter que recorrer à ajuda da caracterização ou ao ajuste do gamma por exemplo (o gamma afecta o tamanho dos passos na escala de cinzentos, não esquecer que este termo é diferente no filme e no vídeo).

06.02.26 Há 2 standards para HDV: progressivo e enterlaçado.
A Sony usa 1440x1080 50i/60i com gravação a 25Mbps em MPEG-2, enquanto que a JVC usa 1280x720 25p/50i com 19Mbps.
Para além destas duas marcas existem mais 41 fabricantes que, directamente ou através de plug-ins, usam esta definição padrão em sistemas de edição, como por exemplo a Avid, Pinnacle, Canopus, Adobe e Ulead.
O sucesso recente e futuro das câmaras HDV em todos os tipos de produções vídeo, leva os profissionais a exigirem cada vez mais condições para complementar a sua criatividade.
O HDV tem características semelhantes ao filme de 16mm, a lente da câmara é boa mas não tão boa quando fazemos zoom in, aí precisamos de uma boa lente tele HD.
O Matte box é um óptimo acessório que protege a câmara e implementa as possibilidades criativas do DF e facilita a operação ao operador de imagem.
O sistema é simples, em tudo semelhante ao usado no cinema, com um anel de borracha leve e compacto que se adapta directamente ao anel da objectiva, possibilita ao operador melhores condições de trabalho e melhores resultados.
Para um uso mais leve e compacto este Pára-sol pode ser usado como clip-on adaptado directamente ao anel da óptica, sem prejudicar a operação da câmara, o que não acontece com os comuns pára-sol usados em vídeo.


06.02.03 A Stage Electronics anunciou o lançamento de um controlador de DVD por sinal DMX. O controlador permite comandar um leitor de DVD a partir duma mesa de iluminação. Com comandos DMX simples o operador pode arrancar ou parar um leitor de DVD, saltar para uma faixa especifica, ler durante determinado tempo, saltar para outra qualquer à sua escolha, etc. Resumindo, o operador pode coordenar fontes de vídeo/áudio com cues de iluminação, ideal para aplicações em teatro ou em espectáculos variados. Feito para o Pioneer 7300D possui, no entanto, muitas capacidades para correr discos de vídeo e áudio, funções de sincronismo diferentes e um interface série permite controlar funções a partir dum sinal externo de computador.

06.01.15 A Doughty Engineering, baixou para metade o preço do seu famoso "Supaclamp".Novos progressos na tecnologia permitiram fabricar uma garra de melhor qualidade e grande funcionalidade. Permite prender em secções curvas e rectas de 5mm a 50mm. Em preto ou cromado, com todos os parafusos em aço, para garantir que não enferrujem, cumpre todos os standards de segurança.

06.01.03 A exposição automática das câmaras, consegue bons resultados, este sistema é baseado em condições padrão e sujeito a uma referência de 18% de valor de reflexão, que pode ou não representar a cena que temos em mente. Geralmente este preset produz resultados decentes, contudo, os profissionais, não trabalham pela maioria das vezes mas sim por bons resultados sempre. Na produção em HDTV o cuidado com os ajustes manuais dos parâmetros do sinal de vídeo são sempre preferíveis à exposição automática. Cenas que têm grandes áreas negras, ou brilhantes que excedam em 5% o valor total da área da imagem podem levar o sistema de exposição automático ao ponto de destruir o tom geral da imagem. Exemplos disso são os sujeitos fortemente iluminados com um fundo negro ou os parâmetros para luz interior com uma janela atrás do sujeito, paredes brancas ou uma captação com o céu ou partes dele como fundo. Os níveis da câmara devem ser ajustados para o pico de branco crítico de 100% o nível de negros deve estar pelos a 2% (o setup da câmara comporta-se de maneira diferente). Não podemos esquecer que o branco absoluto e o negro absoluto devem conter detalhe e contudo estarem dentro da escala, não ultrapassarem muito os 100% nem 0% respectivamente.

05.12.20 Os acessórios novos para o ColorBlock incluem uma escolha de seis graus diferentes de difusão e efeitos fazendo dele um projector de leds multifunções mais criativo. Os acessórios feitos em policarbonato para resistir às diferentes exigências da indústria do entretenimento são fáceis de colocar e retirar num só bloco que se posiciona à frente dos quatro grupos de células de leds. Funcionando como um difusor este conjunto permite controlar individualmente os leds em RGB. Não provoca flares nas câmaras quando usado em televisão. Este difusor pode ser de vários tamanhos desde o conjunto completo para uma unidade até cada conjunto de leds isoladamente. Os filtros com diferentes ângulos de dispersão são de filme holográfico que elimina o efeito Moiré e a difracção de cor.

05.12.12 Ao fim de 2 anos de grande implantação no mercado, a Robe chegou ao maior espectáculo musical da Eurovisão, no seu 50º aniversário, o Festival Eurovisão da Canção usou projectores deste fabricante da República Checa. Entre ColorSpot e ColorWash 1200AT foram 330 as unidades fornecidas para o evento em Kiev, Ucrânia, em 21 de Maio passado. A produção técnica é desde os últimos 5 anos da Spectra Plus de Estocolmo, Suécia. Este ano na Plasa foi apresentada a gama de projectores de menor potência, scanners e linha de entretenimento Color Spots e Color Washes de 575 e 250AT proporcionam uma maior criatividade aos Lighting Designers.

05.12.02 LTP/HTP são termos usados nas mais complexas consolas de iluminação Latest Takes Precedence e Highest Takes Precedence são descrições dos níveis de canais de acordo com os fades entre canais. Normalmente, um dimmer trabalha em HTP, desta forma, se houver várias memórias activas, o nível mais alto de um determinado canal está na saída. Quando as memórias são reduzidas, o canal HTP é reduzido também. Os canais LTP são usados principalmente para os moving lights e não fazem fade por si, mas permanecem activos até o nível programado numa memória estar activo, a última acção tem precedência sobre todas as outras. Assim, posso adicionar memórias e ir variando determinados parâmetros, mantendo os restantes constantes. Isto permite aos robots irem para uma nova posição enquanto estão a mudar as cores, etc.

05.11.20 Telecinema É o equipamento de pós-produção de película de 16 e 35mm para formato digital que servirá de master para os outros suportes como o vídeo ou o DVD. O processo de transferência tem início quando o filme revelado é introduzido na unidade óptica adequada ao tipo de película que é atravessada por um feixe de luz muito fino como um raio laser. Este feixe de luz sofre uma divisão nas cores primárias do filme, captadas por 3 foto-células que vão buscar a informação eléctrica de cada componente de cor. O sinal eléctrico é processado e trabalhado por toda a electrónica do telecinema e depois pela mesa de correcção de cor e ruído. No final deste processo temos um sinal de vídeo digital. Dada a capacidade do telecinema no que se refere a melhoramentos na imagem, também são frequentes as passagens de vídeo para vídeo, assim conseguimos quase igualar a qualidade da imagem de vídeo à do filme. O corrector de cor trabalha essencialmente com as cores primárias da televisão: vermelho, verde e azul, através dos diferentes equilíbrios consegue fazer correcções por zonas distintas, faz cortinas para dar destaque a uma ou outra zona de imagem, permite ainda mexer no grão, retirar ruído de apenas algumas cores, etc. Os directores de fotografia trabalham directamente com os coloristas para corrigir em segundos imagens que lhes desagradam, assim apagam cores ou pelo contrário reforçam os contrastes cromáticos dando continuidade ao trabalho. O osciloscópio verifica e controla a imagem e a percentagem de cores que a nossa visão tem capacidade de avaliar, o vectroscópio dá ao operador a noção do ponto de saturação das cores, que não deverá ultrapassar os 75%.

05.11.11 USITT DMX 512-A. Novo standard para controlar equipamentos de luz e acessórios. Na realidade nada de novo nos trás em relação ao velhinho DMX 512 quando criado em 1990, dado já se tratar de um cabo de data e uma ficha XLR de 5 pinos. A grande diferença é que na altura só se usavam 3 pinos e portanto tanto fabricantes como utilizadores usavam muitas vezes fichas de 3 pinos e cabo de áudio devido ao seu preço mais baixo. Ainda assim podíamos tirar partido dos novos equipamentos com retorno de informação pois usamos esta linha para enviar e receber dados. Esta realidade suficiente até aos dias de hoje está a mudar devido ás necessidades cada vez maiores dos mais exigentes operadores e lighting designers. Se é verdade que podíamos mandar e receber informação através de uma única linha de DMX também é verdade que enquanto enviamos a informação não estamos a receber e vice-versa num mesmo instante de tempo. Também é verdade que só podemos enviar uma informação de cada vez, se um equipamento e os seus vários acessórios processam a informação a diferentes níveis, isso pode ser significativo. Usando os 5 pinos na configuração EF2 podemos ter constantemente o envio de dados na primeira linha e o retorno na segunda linha a todo o momento. No futuro espero poder usar estas potencialidades usando o pino 4 e 5 tal como o 2 e 3 numa configuração bi-direccional denominada EF4.

05.10.30 Cine Alta. Quando em Março de 2001 a Sony fez a sua primeira apresentação em Portugal da câmara Cine Alta HDW-F900, começou a alternativa ao filme. É cada vez maior o número de programas produzidos em alta definição a 24p com formato 1920x1080 e uma amostragem 4:2:2. As imagens de alta definição 24p são muito boas e estão perto do filme mas porquê tentar desenvolver um sistema de vídeo que vá de encontro ao filme e a todos os artefactos inerentes? O próximo passo será um CCD com uma polegada com uma resolução de 2K, pelo menos é o que espera Raffa Roche, o consultor do workshop de HD que frequentei. Quanto a mim, no futuro os filmes serão provavelmente uma mistura de diferentes media, e a alta definição virá a ser só uma parte do processo de produção, tal como de programas de televisão e outros meios audiovisuais. A qualidade de imagem é soberba, todos os pormenores estão presentes, todas as nuances de cor, detalhe nas sombras e nas altas luzes...algo que em vídeo era inimaginável. A vantagem são as opções de 50i e 60i que permitem gravar em SDTV ou HD, assim como as lentes, telecinema, codificadores, sistemas de grafismo permitindo um pacote completo de alta definição e possibilidade de spot-motion e time-lapse. Existem todos os acessórios: manivelas, foles, lentes focais fixas, adaptadores para lentes tradicionais vindas do 35mm, lupas para o view-finder, etc. O director de fotografia mantém o seu ambiente de trabalho e o operador de câmara de vídeo encontra as funcionalidades e botões no mesmo sítio como na sua câmara convencional. Cada operador pode configurar a câmara à sua maneira de trabalhar e gravar as definições de cor e efeitos num memory stick podendo importar os parâmetros para outra câmara.

05.10.15 Cortina de Luz. Pixi-Cloth é um novo conceito em cortinas de luz que permite o controlo de cor de cada pixel  individualmente a partir da mistura do espectro de cor. Os pixeis podem ser programados em sequências ou aleatoriamente, possibilitando um número infinito de possibilidades de efeitos desde simplesmente 3 canais até ao controlo de cada pixel individualmente. O programa Scotland Hongmanay Show, da BBC possui uma cortina de 6 por 6 metros a fazer o fundo do palco principal com total controlo através do Color-Tramp. A programação é facílima, podemos ligar uma câmara, assim cada pixel acende consoante a imagem de vídeo. Esta cortina permite por conseguinte um desenho automático ou aleatório ou rendering de vídeo e pode ser controlada por qualquer fonte DMX512.

 05.10.03 DMX. Olá! Acabaram-se as férias e estou de volta ao trabalho. O DMX, método digital de controlo de quase todos os equipamentos modernos de iluminação. Digital Multiplex usa uma ligação em série com três condutores. Basicamente, os pacotes de sinal digital são enviados em sequência detalhada de número de canal e nível, começando no canal 1 e acabando no 512 antes de começar outra vez. Isto acontece muito depressa, por isso o atraso entre o nível de informação de um canal é desprezível. O sinal digital trouxe uma grande melhoria em relação ao analógico, isto permite agrupar equipamentos e atribuir-lhes valores fácil e rapidamente. Está actualmente a ser substituído por DMX 512-A e RDM mas estes são ambos compatíveis com a versão anterior e provavelmente levará alguns anos até equipar todas as máquinas que usamos habitualmente. Brevemente mais notícias sobre este tema.

05.06.30 Festival Eurovisão da Canção. A Luz é espectáculo. Festival Eurovisão da Canção, a inovação a apresentar os seus avanços em efeitos especiais e programação...as sensações fundem-se. A empresa que forneceu a luz e os meios técnicos para a emissão é Sueca e líder na Europa em iluminação. Foi o quinto festival que fez, todos os anos melhoram o equipamento técnico e o alto nível de organização para agradar a todas as culturas e tradições, em conjunto com as televisões locais. Este ano usaram uma tecnologia de vídeo completamente nova, conhecida por O-Lite em estreia absoluta, a pouca informação disponível que tenho é que são painéis de leds com 8x11cm, no palco estavam para cima de 5500, para proporcionarem efeitos de vídeo nunca vistos, ligados pelo sistema Catalyst, que  é um server que sincroniza vídeo com som para criar cenas gráficas. Tinham também o projector de vídeo mais potente do mercado, o XLM25. O palco foi o mais automatizado de sempre e a forma de projectar a luz e o vídeo é uma forma absolutamente nova para cada uma das 39 canções. A maioria deste equipamento já foi usada antes, mas nunca desta forma. Demorou a 4 operadores um total de 41 dias a programar a luz e o vídeo. Levou 2 semanas para preparar o cenário, câmaras, iluminação e tudo o mais. Foram 32 pessoas, a equipa, a executar a iluminação e vídeo do espectáculo. Existiam nessa equipa pessoas de 8 nacionalidades diferentes. 2 Desenhadores Gráficos trabalharam intensivamente durante 6 semanas para preparar o show, que entre muitas outras coisas foi composto por: 350 moving lights, 16 High End  Catalyst, 4 Avab Congo +backup, 5504 módulos O-Lite 10, 280 módulos I-Lite 8, 2 Barco XLM25, 3 Barco R18, 2 Barco ELM12+, 3 Barco R10, 78 barras de 4 ACL, 4 followspots 2500W HMI, 4 followspots 700W MSR

05.06.20 TV Digital. Actualmente são 47 milhões os lares europeus que recebem emissão digital de televisão.
O campeonato Mundial de Futebol na Alemanha, em 2006, e os Jogos Olímpicos de Beijing, em 2008, serão os grandes impulsionadores da alta definição, em 2010 espera-se a grande reviravolta e a substituição do SD.
No Reino Unido a televisão digital atingiu uma boa penetração com a BBC a produzir a maior parte dos seus conteúdos em HDTV para o futuro mercado mundial de Broadcast.
Em Espanha, a emissão em HD está ainda muito pouco desenvolvida e terá que passar ainda muito tempo para que os telespectadores vejam emissão em alta definição.
As estações de televisões estão bastante receptivas à qualidade da alta definição principalmente em telefilmes, contudo ainda existe pouca produção em HD.
Em França o final de 2005 início de 2006 é a data prevista para começar a oferecer emissões em HD ao público.
Nos Estados Unidos 10% dos lares estão capacitados para receber HDTV e 40% das séries estão a ser produzidas em HD.
No Japão só 4% dos lares recebe HD no entanto 10% dos televisores vendidos são HD.
Austrália 90% dos 7 milhões de lares Australianos recebem TDT, sendo que 5 emissoras transmitem 24 horas por semana de emissões em HD simultaneamente com SD.
Em Portugal...logo se vê...

05.06.05 Definições. O grau de desenvolvimento em que se encontra a iluminação artificial é devida à pesquisa efectuada nos campos da óptica e física, define-se iluminação tanto em termos de qualidade como de quantidade. Para além de se aplicar uma certa quantidade de luz a uma área, especifica-se a sua distribuição no espaço, tempo e comprimento de onda.
O olho Humano recebe como luz qualquer radiação electromagnética no intervalo 380 a 780nm.
Intensidade Luminosa - (numa certa direcção) é o quociente entre o fluxo luminoso gerado por uma fonte, ou elemento da fonte, num cone infinitesimal contendo a direcção pretendida, e o ângulo sólido desse cone com a unidade de Candela (cd).
Fluxo Luminoso - serve para medir a potência de radiação que provoca a sensação luminosa no olho. A sua unidade é o lumen (lm), e representa quantitativamente o mesmo que o Watt para o fluxo de energia.
Eficiência Luminosa - é a relação entre a energia luminosa e a energia eléctrica, e é medida em lm/W.
Quantidade de Luz - é o produto do fluxo luminoso pelo tempo em que é mantido.
Iluminação - a iluminação de qualquer ponto de uma superfície iluminada é a densidade de fluxo luminoso que recebe. A sua unidade é equivalente a lm/m2 e é designada por Lux.
Luminância - numa dada direcção, é o quociente entre a intensidade luminosa de uma superfície, medida num certo ângulo com a normal dessa superfície, pela projecção ortogonal da superfície num plano perpendicular à direcção pretendida. A sua unidade é cd/m2 ou stilib.
A luz apenas se torna visível quando reflectida ou difundida por uma substância. Superfícies com a mesma iluminação podem parecer mais ou menos brilhantes ao observador, dependendo das suas qualidades reflectoras.

05.05.18 Arquivo. "... temos registos em película de há cem anos mas não temos algum material em U-matic ou BCN de há 30 anos..."
E no futuro? Com tudo a ser gravado em suportes digitais, daqui por 30 anos, o que é que vamos ter para contar a história dos audiovisuais e do próprio Homem.
Que provas temos de que o armazenamento digital tem um longo tempo de vida, afinal que duração tem um disco? Alguns DVDs domésticos deixam de ser lidos ao fim de um ano, dizem que é da oxidação do próprio material. É verdade que estou a falar dos mais baratos, mas quem põe as mãos no fogo mesmo pelos de marca? As próprias marcas, que devido à forte concorrência tem que ser boas também no preço, na investigação e nas novas tecnologias em geral.
As novas tecnologias que levam o vídeo a aproximar-se do filme, sem nunca podermos pensar que um vem substituir o outro, tal como a fotografia a preto e branco não foi substituída pela colorida.
A alta definição ainda está no princípio dos princípios daquilo que eu penso que vai ser o sistema de registo do futuro. E qual será o conceito de imagem depois da película e do HD no seu estado final? A pergunta fica no ar, as novas gerações já estão a trabalhar para responder.

05.05.06 Digital. O factor fundamental para o desenvolvimento da HDTV é a transição da televisão analógica para digital.
Na maioria dos países europeus essa transição será progressiva ao longo dos próximos anos, sendo que para alguns países esta realidade será em 2006 e para outros em 2012.
Cada vez há mais pessoas com televisores plasma e LCD, assim como projectores de Home Cinema. Além disso as pessoas que já experimentaram a qualidade do DVD, esperam agora a mesma qualidade na emissão de televisão. Quanto maiores os televisores mais necessária é a alta definição.
Outra questão é se a TDT será uma plataforma viável para transmitir HDTV. Os conteúdos HD necessitam de uma largura de banda quatro vezes maior que em SD.
As televisões europeias estão à espera do standard de compressão de sinal que permita aos canais HD utilizar menor largura de banda, os favoritos são o mpeg4 da Apple e o windows media 9 da Microsoft.
Por outro lado, também continua em aberto o debate sobre se a HD deve ter 720 ou 1080 linhas. Nos Estados Unidos, a resolução escolhida é 720 e na Europa 1080, definidas na IBC, em Setembro de 2004.
Entretanto o único canal europeu que emite em HDTV desde Janeiro de 2004 produziu recentemente o concerto dos Rolling Stones e da Madonna, mas o seu maior evento foi a abertura dos jogos olímpicos de Atenas onde estiveram 16 carros de exteriores com 128 câmaras para a emissão tanto em SD como em HD para milhões de telespectadores em todo o mundo.

05.04.26 Mira de cinzentos. Devido à latitude de exposição dos filmes, em especial os negativos, podemos sempre calcular a exposição a olhômetro, mas a exposição correcta nem o mais sofisticado fotómetro TTL garante.
No entanto, aqui fica uma referência válida, para duas horas depois do nascer do dia ou duas horas antes do pôr-do-sol, com o sol atrás da câmara (portanto de frente para o assunto) com uma abertura de f16 e um tempo de exposição com o valor mais próximo da sensibilidade da película.
Imagens com muito contraste e fundos muito claros ou escuros são um problema para a leitura de luz através dos fotómetros incorporados nas câmaras.
Nesses casos podemos usar alguns recursos tradicionais, o cartão cinzento ou o fotómetro de mão. O cartão cinzento, colocado junto ao tema, confere uma leitura média de luz que é a correcta para todo o enquadramento.
Para a medição da luz reflectida pelo cartão, usamos o fotómetro da própria câmara, na falta do cartão cinzento pode medir-se a luz na palma da mão ou outra qualquer superfície com reflexão de 18%.
O fotómetro manual é fundamental na produção cinematográfica. Seja fotómetro analógico ou digital, mede com precisão partes da imagem e depois é feita uma média para a exposição final ou no caso de ficção valorizando a parte mais importante do assunto a captar.
Direccionando para a luz que chega ao assunto, mede a luz incidente, o que garante a exposição mesmo que o tema a ser captado seja completamente branco ou preto.

05.04.16 Leds. Os novos projectores de leds já deram provas, estão agora a chegar os moving lights wash de leds.
Com valores de iluminação semelhantes a lâmpadas de descarga de 150W, com sistema dicroico de mistura de cor, estes pequenos projectores já conquistam uma faixa de mercado. Os que conheço possuem 37 leds de 1W, sendo 12 azuis, 12 verdes, 12 vermelhos e um branco que compensa a temperatura de cor resultante da mistura dos outros.
Emitem um feixe suave e circular em qualquer cor, o vermelho e o verde são bastante saturados, sendo o azul um azul médio, o feixe não provoca aberrações (sombras tricolores) devido à natureza multiponto da sua luz.
Recebem sinal standard DMX, facilmente programável através do seu display ou de uma consola digital, devido à tecnologia led o strob electrónico é muito rápido e eficiente, o movimento pode ser suave ou rápido e sem grande ruído, reduzir a intensidade é muito prático até black out completo.
O tempo de vida útil dos leds é de 100.000 horas sem qualquer manutenção pequenos leves e fáceis de montar, com baixo consumo de energia.
Parecem-me ideais em alguns ambientes, para iluminar elementos de cenário e módulos de truss, com a vantagem do baixo consumo, preço, peso e tipo de luz emitida, aposto sinceramente neles.

05.04.03 Primavera HD. Estive presente no Primavera HD que, desde já vos digo, foi óptimo.
A Sony, só levou a HDV, mas mesmo assim ultrapassou as minhas expectativas.
Nota-se melhor qualidade na imagem, quando visto num monitor HD, e melhor tolerância às altas luzes.
O workshop câmara HD, com o DF André Szankowski, lembrou-me algumas realidades, nomeadamente ao comparar a latitude da imagem de vídeo com a da película.
Pela experiência do André as câmaras HD têm uma latitude de 5 stops sendo um salto significativo no vídeo.
O facto de a imagem ser progressiva aproxima a imagem do vídeo à do cinema, ficção e eventos desportivos ficam a ganhar, podendo o DF tirar grande partido, em termos de efeitos na imagem.
Sem nunca comparar HD com película, no sentido de uma substituir a outra, os debates foram bastante interessantes.
No debate sobre novos rumos para a formação apercebi-me que estamos mesmo no fim da Europa, o David Alonso da Escuela Superior de Comunicación, Imagen y Sonido, demonstrou com exercícios feitos pelos alunos, o ano passado, testes entre câmaras Arri 435 e câmaras Sony 750, ambas propriedade da escola, o quanto o mercado Espanhol está à frente do nosso tanto em produção como em formação e consequentemente capacidade e qualidade para o futuro do mercado.
O ponto alto, para mim, foi o debate em que José Manuel Costa, da Cinemateca Portuguesa, falou em questões de arquivo relativas a este novo formato, O Digital.
É de reconhecer que não temos a mínima garantia da durabilidade do armazenamento, e se não criarmos alternativas sólidas, podemos correr o risco de num futuro próximo não termos conteúdos para fazer história.

05.03.16 Truss. O truss é a grande inovação na construção de um espaço coberto para qualquer tipo de evento.
Para todo o tipo de espectáculos, eficiente e leve com capacidade para suportar grandes cargas.
Qualquer que seja a necessidade, é fácil oferecer um desenho de construção que satisfaça, baseado em módulos de truss standard, fácil e rápido de montar, compacto no transporte, seguro e com a própria base do palco a fazer de balastro.
Muito frequente é vermos uma extensão lateral, em cada um dos lados do palco, para suspender as colunas de PA.
Normalmente todos fechados, em preto para se obter os melhores efeitos de luz e para o fumo não se dissipar tão depressa, também podem ser usados sem cobertura nenhuma, normalmente em eventos durante o dia ou simplesmente sem a cobertura de fundo para ganhar-mos profundidade e um cenário natural.

05.03.02 Balões de luz. Um balão insuflável com uma lâmpada dentro, é desde há poucos anos (1994), mais uma forma de iluminar à disposição de directores de fotografia de cinema e vídeo.
Em constante mutação, estão disponíveis em várias medidas e formas, incluem lâmpadas HMI e Tungsténio, que balanceadas, permitem um resultado excelente, no equilíbrio, da temperatura de cor.
Os balões podem ser cheios de ar, para suspender, ou cheios de hélio (gás inerte não inflamável) que operam até alturas de 50m, iluminando uma vasta área de 360º.
Uma grande vantagem, é a rápida instalação desta fonte de luz em comparação com as fontes convencionais, tal como a sua rápida e fácil mobilidade, mesmo durante a gravação de uma cena.
Uma gama diversificada que vai dos 575W a 36KW em balão, tubo, canto ou outra forma desejada pelo DF.
Podem ser usados como luz principal proporcionando uma iluminação muito natural, mesmo em close-up em cinema ou ENG.

 
Copyright (c) 2004 Made by Rodrigo Nogueira